Pesquisar este blog

Translate

26 de ago de 2014

Troca de eixo


Na trilha de pequena melhorias...

Quando solicitei que fossem montadas as rodas para a nova bike velha, não me dei conta que o espaçamento do eixo traseiro para speed, original dos cubos Sansin herdados da minha C12 (usualmente, 126mm) e para Mtb (130 ou 135mm) é diferente... ou apenas me esqueci deste detalhe.

Fato é que um dia  tive que consertar um furo no pneu traseiro e "me lembrei" disso ao ver o quanto o triângulo traseiro estava tensionado por conta da compressão das gancheiras pela blocagem: tinha que rosquear a blocagem, comprimindo o espaço até que fosse possível fechar a blocagem. Não que isto tenha alterado/deformado ou prejudicado a estrutura do quadro, até p/q, sendo o mesmo de cromo, não me preocupei com isso dada a flexibilidade do material - o quadro poderia absorver facilmente esta diferença quando a blocagem era fechada. Mas...

... nem me passou pela cabeça deixar passar esse problema. Assim, decidi realizar a troca do eixo, tendo em vista também, que não era minha intenção manter a blocagem na roda traseira - motivos: a) segurança, evitar que algum malandro venha a me levar a roda traseira (é a mais cara...); b) geralmente, quando preciso remover alguma roda, para transporte em veículo, ou para acorrentar, é a roda dianteira a que é removida, o que torna a blocagem desnecessária naquela roda; c) estética, sinceramente, acho as porcas mais legais na bici do que as blocagens.

Assim, me muni do ferramental adequado e executei a troca, conforme segue (a documentação da operação foi meio pobre... às vezes você está sujo de mais, ou concentrado demais para parar o que está fazendo e pegar a máquina fotográfica para o devido registro):

Chaves de cubo, nos tamanhos 13/14 e 15/16 - tem que ser estas "fininhas", específicas para cones e contra cones. A chave "inglesa" pode ser necessária.
Material / peças que comprei:

- 01 eixo traseiro completo, R$ 5,00

Vem o jogo completo, ou seja, o eixo mais porcas, contra cones e cones de eixo. Mas  como tudo hoje em dia, esses acessórios novos são muito, mas muito vagabundos mesmo, então optei por utilizar os contra cones e os cones antigos / originais do cubo japonês Sansin, que são claramente superiores além de já estarem "amaciados" pelo tempo.

Destas partes novas, fiquei com o eixo, porcas externas e espaçadores. As esferas ainda estão em condições, mantive-as, bem como os espaçadores de alumínio que não tive que cortar. 


Eram 7 exatos mm...
Após desmontar o eixo original, fiquei com um monte de peças na mão e uma dúvida:


- Iria precisar refazer o guarda-chuva da raiação da roda traseira??? 


Caso positivo, o trabalho seria muito maior, sem contar que a roda estava muito bem montada... definitivamente não estava nem um pouco  fim de ter que refazer...

Bem, só teria esta resposta após haver montado parcialmente o novo eixo.

Acessórios da esquerda são os "novos"; os da direita os originais. notar que os espaçadores originais são todos de alumínio (já bem judiados pelo uso), por exemplo.

Cones originais do cubo japonês - notar a homogeneidade no desgaste das pistas de rolagem, onde as esferas tocas as pistas - e não tem buracos! O material é muito resistente mesmo.


Estes cacos aí foram os que vieram com o eixo "novo"; a peça que faz as vezes de cone nem concavidade possui, tal a porquice na fabricação. Só para completar, notar que, mesmo estando embaladas, as peças se oxidaram...



A graxa, além de lubrificar, serve para manter as esferas no lugar na hora de se colocar o eixo.



Isso aí são aparas de metal minúsculas, que saíram da limpeza das esferas e das pistas do cubo...e ficaram no paninho da limpeza. por isso o cubo de esferas deve ser  verificado com frequência, para ver se há necessidade da troca de algum dos componentes. (Anda muito difícil de se encontrar as esferas soltas nas bicicletarias).

Finalmente, com os cones no lugar, verifiquei o alinhamento da roda e fiquei muito feliz ao perceber que a mesma manteve-se alinhada com o quadro. Bastou, então acrescentar os devido espaçadores. no lado da tração, o espaçador ficou perfeito; porém, no lado oposto o espaçador ficou pequeno (lógico, o eixo original era mais curto, não é?!). e o espaçador que poderia ser utilizado - o que veio no eixo novo, também não servia - comprido demais.
a solução foi manter o espaçador original e cortar o novo. Isso p/q a operação de corte seria complicada numa peça curta... eu uso uma serrinha de arco. quanto mais curta a peça, mais difícil é para serrar.


Tá tortinho, né?? sem problemas, pois o espaçador é mais largo por dentro, sem forçar o eixo ou as contra-porcas. (hmmmm, acho que posso melhorar esta montagem...algo estranho por aqui)

Terminei de montar tudo, limpei e teste final:

Encaixe exato no lado esquerdo...(a porca está frouxa)


...e no lado da catraca. A roda entra exata, sem folga ou sem ter que afastar as gancheiras. O trabalho ficou dentro da minha expectativa.

No final, rodando com a bici, a senti muito mais "redonda" ao pedalar. Pode ser coisa da minha cabeça, mas em se tratando de mecânica, o instrumento sempre deve estar bem regulado para se obter o resultado adequado.

Nenhum comentário: