Pesquisar este blog

Translate

24 de mar de 2014

Tirinhas...

Exemplar da atitude de muitos ciclistas, e divertido também!! Hahahahaha!!

http://campyonlyguy.blogspot.com.br/2013/01/cyclists-and-everyone-else.html

Tradução livre (não usei o tradutor do google...):

quadro 1:
- porco: Jef ciclista... tem uma coisa que não compreendo...
- ciclista: O que é?

quadro 2:  
- porco: Ciclistas sempre estão zangados com as pessoas que dirigem seus carros irresponsavelmente.
Mas, seguidamente, eu vejo ciclistas cruzando os sinais vermelhos.
- ciclista: E??

quadro 3: 
- porco: Então, as  leis de trânsito não deveriam se aplicar a todos de mesmo modo?
- ciclista: Concordo, se as pessoas fossem todas iguais...

quadro 4: 
- porco: E não são?
- ciclista: Você nunca viu a "Pirâmide da Humaniodade"...

quadro 5: 
- Desenho:
título - "Pirâmide da humanidade"
topo da pirâmide: Ciclistas
base da pirâmide: Escória

quadro 6:     
- porco: Sinto-me escória, por não me dar conta disso!
- ciclista: Tudo bem, o meu pessoal espera muito pouco de vocês...

18 de mar de 2014

"Campagnolizando" a estradeira - III

Já vai longe a postagem anterior sobre os novos freios Campagnolo Veloce que instalei na bici estradeira.


Enfim, segue-se com as descrições de ajustes finais e avaliação do produto.


Ajustes finais:


As ferraduras anteriores, RX 100 da Shimano, são ambas de dois pivôs, com parafusos de ajuste fino, algo que facilitava bastante esta fase - a de ajuste fino da distância do aro. Eu sigo os manuais, então deixo as sapatas não mais que 2 mm afastadas dos aros.

No caso das ferraduras Veloce, após montagem preliminar, segui para o ajuste fino.

Na dianteira, o caso é idêntico ao equipamento anterior, ou seja, faz-se o aperto do parafuso de fixação ao garfo, com uma centralização  a sentimento; regula-se o comprimento do cabo, buscando o mais preciso possível, o distanciamento do aro. Feito isto, regulam-se as sapatas - as sapata Campagnolo possuem umas arruelas levemente convexas que permitem um ajuste mais preciso junto ao aro.

Segue o ajuste, contando com o parafuso de centragem. Depois disto, ainda finaliza-se girando levemente a arruela de tensão do cabo, permitindo aproximar ou afastar as sapatas sem mexer nos cabos ou parafusos.


No círculo rosa/lilás, o parafusinhos de ajuste fino. Na real, o destacado em lilás, não descobri o que ajusta!!!...melhor não mexer!!

RX 100 - parafuso equivalente para centragem das sapatas

Avaliação e Comparativo:

Design

Neste quesito, minha opinião é muito suspeita! Campagnolo na cabeça! Mas, vou colocar as coisas de maneira justa, uma vez que o conjunto novo vem substituir algo que já tinha mais de uma década de uso e bem uma década em meia em termos de engenharia e design.

Recém saído da caixa...




RX100 à esquerda, veloce direita: ambas as ferraduras dianteiras são com dois pivôs, para garantir força e segurança na frenagem onde ela é mais importante

Utilizando-se de uma ferradura monopivote na traseira, a Campagnolo fez um componente com menos massa do que a Shimano, no conjunto

É mais leve aos olhos, mais limpo no desenho e tem a a "cara" mais moderna também


Aspectos funcionais - rodando!

É difícil avaliar qualquer produto novo, especialmente quando ele te traz uma nova maneira de conduzir a sua bicicleta... Demorou um tempo para trazer as minhas impressões sobre este conjunto de ferraduras de freio. Agora, finalmente consegui colocar bem uns 500 km nesses componentes e posso ter mais firmeza nas minhas opiniões sobre eles.

De cara, diria que os freios entregaram o que prometeram, ou seja, uma frenagem segura,  firme, com modulação adequada e sem o tradicional travamento da roda traseira - o que significa isto: a bici só vai frear eficientemente se  forem acionados ambos os freios, numa dada força em ambas as mãos - tipo, não adianta meter bronca só na roda traseira que a bici não vai frear e você vai acabar quebrando os manetes, pois não importa qual força você faça, o diabo do freio sozinho nunca trava a roda traseira!!

Por isso a  questão de uma nova maneira de conduzir a bici. Via de regra, eu estava acostumado a acionar ou somente o dianteiro, ou somente o traseiro, ou acionar muito mais um do que o outro, com os RX100 velhos de guerra. 

Com o conjunto novo, é sempre ou o dianteiro - para pequenas reduções de velocidade, ou ambos para uma redução extremada ou parada total. Este novo modo de condução também é mais eficiente, uma vez que te obriga a utilizar os componentes de maneira mais igualitária, reduzindo o desgaste geral do sistema - me parece que este é o objetivo do conjunto, atuar como...conjunto!!!!

Na situação anterior, com as ferraduras Shimano, frequentemente havia necessidade de ajustes e manutenção nos cabos e sapatas da ferradura traseira, a mais utilizada (mão direita...).

Não representa que as ferraduras da Shimano sejam inferiores, mas me sinto à vontade para afirmar que realizei um bom upgrade - não um salto, mas uma melhora controlada (em termos de custo e benefício) que vai somar ao melhor desempenho da bici.




15 de mar de 2014

Inovação ou frustração?

Designers tendem a ser pessoas criativas e inventivas, estão o tempo todo tentado extrair "leite da pedra", uma vez que a maioria dos objetosd modernos e de uso habitual já possuem as suas configurações estabelecidas há um certo tempo (Ex.: um iphone continua sendo um telefone, em forma de prisma como tantos outros.).

Vez por outra surgem essas coisas aqui, que não sabem muito bem a que se prestam.:


Mas a propaganda faz a sua parte, e um bom vídeo de alguém (experiente!!) utilizando a coisa, faz parecer que se trata de alguma coisa realmente legal, fácil de usar e etc. Bom, até É legal, mas o que não aparece no vídeo é que para o carinha pedalar esse troço, tem que ter um preparo físico bastante bom! E, utilizar isto alí para transporte urbano como é sugerido, deve ser no mínimo desconfortável.