Pesquisar este blog

Translate

9 de mai de 2013

Sem Carro Vassoura


O carro vassoura é aquela van que passa no final das competições importante, tipo volta da França ou da Itália, e passa recolhendo os ciclistas que excederam o tempo limite, ou ficaram muito para trás, assim por diante. Quem curte cinema / filmes vai se lembrar do desenho de animação "As bicicletas de Belleville" ou , no inglês The triplets of Belleville (recomendo...).

Passei um bom tempo sem pedalar esportivamente, definindo. Resolvi retomar a atividade no final de semana retrasado. Também resolvi que tinha que acompanhar alguém, para me estimular e para tirar uma média de como andava o meu condicionamento físico.

Tem um grupo cuja atividade sempre acompanho pelo blog, mas que nunca consegui / me planejei para acompanhar  no pedal:


Bom, despertador às 6:45, café, alonga, última revisada no equipo e pedal na estrada!
Cheguei ao local marcado uns 10 minutos antes, cumprimentei os que já estavam lá e pedi permissão para acompanhar o pessoal. 

Pelo que sempre li no blog, o treino era forte e sem "frescuras". Tive certeza disso ao observar e conversar com os outros ciclistas. O grupo é democrático, tem de tudo que é tipo de gente e não faz bico para novatos, como eu.

As bicicletas são diversas, algumas mais simples e mais gastas; outras mais sofisticadas, mas sem exageros. Ninguém fica alí babando equipamento, nem ninguém fica expondo equipamento. A galera vem pelo treino.

Aguardamos a chegada de alguns elementos chave e então partimos, uns 10 minutos após a hora combinada. No início, rodando sem esforço, mais parecia um passeio... saímos de Porto Alegre, passando pela divisa com o município de Cachoeirinha, o qual atravessamos em direção a estrada RS - 020. A esta altura já estava-se  pedalando num ritmo mais forte, mas nada surpreendente. 

O bicho pegou alguns Kms adiante, já com "estrada livre". Os cabeças do pelotão puxavam num ritmo bem forte e a média neste  momento era acima dos 40 Km/h (o que p/ o meu preparo é muuuuito forte!!!). Acompanhei  no ritmo até onde pude, mais ou menos uns 2/3 do trecho de ida (teria a volta ainda...).

A partir daí, deixei o meu próprio ritmo ditar a pedalada, visto que não havia a menor condição de recuperar posição  junto ao pelotão. Enfim, sobrei, como se diz!! ...e quem sobra, em  treino, fica por sua conta!! (sem carro vassoura!!!)

O que não significa que os colegas não dariam assistência, caso ocorresse algum infortúnio. Fato é que dariam assistência caso houvesse acompanhado o grupo. Sem problemas, não aconteceu nada, só fiquei muito desgastado fisicamente, seja por estar tanto tempo sem pedalar forte, seja por estar desacostumado a pedalar a minha estradeira, etc.

Enfim, após uma escalada sofrida na "serrinha" do trajeto, parei dei um descanso e retornei, tendo praticamente me arrastando nos Kms finais até a minha casa.

Pretendo voltar a acompanhar o pessoal. Mas, para tanto, vou ter que comer muito arroz e feijão ainda!!

"Para alcançar o topo, há que andar sob os pés de quem lá está hoje"




Nenhum comentário: