Pesquisar este blog

Translate

27 de mar de 2013

Mais falhas no equipamento

Os últimos 12(?) meses foram aqueles em que as falhas de material se concentraram, para a minha bici do dia a dia . Neste período, praticamente troquei todo o "cokpit" da bici!!(guidão, trocadores). Fora outras trocas de componentes, que pretendo relatar num artigo mais elaborado adiante...

Desta feita foi o meu avanço de direção que apresentou problemas. Já havia um tempo estava difícil obter um aperto aceitável da peça. Era ajustar para dois dias depois estar frouxo novamente... fora isto, um chato "nheco-nheco" ao rodar me deixava preocupado.

Consegui, finalmente, um espaço na agenda familiar para fazer uma desmontagem completa do avanço. A minha esperança era a de remover o mesmo, limpar, colocar uma graxa e tchau! 

Que nada, após um certo esforço para remover as peças - o que envolveu inclusive o uso de um martelo, veja só com o que dei de cara:


Que bonito, né??

E agora, José?
Como sempre, parti para a solução "Mc Guyver", mesmo por que era domingo e não havia a menor chance de encontrar uma loja de peças aberta...

A velha amiga, serra de arco, me salvou novamente...

Assim, serrei o mais alinhado e com o ângulo mais próximo possível ao original da peça... utilizei tão somente a serra de arco que aparece nas fotos. O comprimento da peça que sobrou foi o suficiente para o "conserto", mesmo sendo necessário deixar o avanço enfiado até o limite (ver foto...).

A peça inferior do parafuso se ajustaria razoavelmente

Assim ficou o "conserto": avanço no limite da capacidade do garfo

Então, com este conserto mais que provisório, voltei a rodar.

Não mais que uns quatro dias após, voltei a ouvir o chato "nheco nheco", só que pior ainda!!!
vejam só o final da novela, abaixo:

R.I.P.
Provavelmente, a série de esforços aliada a precariedade do conserto acabou comprometendo a funcionalidade da peça, resultando em esforços mal distribuídos e como consequência final, a ruptura da mesma.

Uma última tentativa foi canibalizar alguma peça que havia jogada na minha "caixa de mágicas" - basicamente o meu ferro velho particular de peças de bicicletas - não mostrado!!!

Havia este conjunto de avanço e adaptador que tinha antigamente na minha C12 e que era na medida 1'. Tentei mas não houve jeito... até que descobri que há variantes do formato 1' "standard". No caso, este conjunto que possuo tem medidas 22.2mm e o diâmetro interno do garfo onde deveria entrar a peça é de 21.1mm.

Finalmente, consegui ir até uma loja e adquirir um avanço idêntico ao original (também não mostrado aqui), não sem antes ter de suportar as porcarias que o vendedor tentou me vender!! Por que é tão difícil o pessoal lojista entender que as palavras AÇO e ALUMÍNIO são diferentes??

...não serviu




12 de mar de 2013

Cada povo tem o que merece!

E nós, brasileiros, nos queixando dos nossos políticos...

vejam só a pérola que um deputado americano foi capaz de excretar:

"You claim that it is environmentally friendly to ride a bike. But if I am not mistaken, a cyclists [sic] has an increased heart rate and respiration. That means that the act of riding a bike results in greater emissions of carbon dioxide from the rider. Since CO2 is deemed to be a greenhouse gas and a pollutant, bicyclists are actually polluting when they ride."

Não vou dar um tradução literal nem total, basta resumir que o cara afirma que os ciclistas, por fazerem um esforço físico, estão despejando mais CO² na atmosfera do que um motorista de automóvel (sic). E utilizou este argumento para justificar a criação de um imposto voltado aos ciclistas...

histórias referenciadas:



"Acredite, se quiser..."