Pesquisar este blog

Translate

31 de mai de 2011

O causo dos bicicletários

É assim: prefiro deixar passar um tempo até que assente a poeira sobre os casos mais rumorosos sobre ciclistas e bicicletas - os que vêm a público, é claro. Um destes foi o entrevero ao redor da presença de bicicletário junto ao Mercado Público de Porto Alegre. Todo mundo quis ganhar o seu nesta estória, como vemos aqui, aqui, aqui, mais aquiaqui e aqui.

Ocorreu já há alguns meses, este caso e vou comentar sobre os resultados alcançados com esta movimentação toda.


Primeiro, vislumbre-se na foto acima,  o modo como as pessoas conseguem prender suas bicicletas na área central de Porto Alegre. É no improviso, óbvio. Eu também faço do mesmo modo quando vou ao centro de  bici. Acorrentar a bici num poste ou numa placa de sinalização é a única maneira de segurar a bici, pois não há bicicletários em outros pontos do centro.

Observe-se, agora, as fotos do tal "paraciclo" - palavra que os biciativistas insistem em querer empregar, tal e qual foi instalado.
























Bom, quem quiser que enxergue um bicicletário, mas eu só consigo ver aí uma tremenda jogada de marketing de todas as partes interessadas: a prefeitura, os ciclistas e os patrocinadores. E não??? Vejamos...

- Os ciclistas / ativistas, sabendo que haveria algum tipo e punição, deliberadamente acorrentam suas bicis em local inapropriado, num primeiro momento. São repreendidos por um(a) funcionário(a) público(a)  tremendamente incompetente e sem visão nenhuma;

- O assunto é jogado no ventilador, outros biciativistas demonstram seu apoio, 

- Os blogs pululam de atividade sob forma de protestos; 

- Ato contínuo, a prefeitura de Porto Alegre - que até este momento sempre mostrou-se de incompetência atrós no que se refere aos ciclistas,  se compromete a instalar  bicicletários no local em questão, o mais rápido possível;

- Ao que uma "organização de suporte ao transporte alternativo" da qual obviamente, alguns dos biciativistas são membros (apesar de não ser uma associação direta, está implícito nas reportagens), priontifica-se a prestar "consultoria" na questão, tendo "desenhado" os  ridículos  magníficos "paraciclos" em forma de cuia de chimarrão (poisé, acredite quem quiser!!!).

- Para completar a novela, aparece (mais) um gentil patrocinador - uma construtora, neste caso, que confecciona os equipamento com "custo zero" para a prefeitura - mas com seu nome bem visível numa placa, é claro (isso no espaço publicitário mais visado da cidade, por onde circulam centenas de milhares de pessoas todos os dias. Mas foi "de graça", né??);

- Ato final, todos os interessados posam para fotos, tem seus nomes bem divulgados, os blogs se derramam em elogios a todos e tudo acaba bem...

...menos para o Espaço Público, pobre coitado, que não é gente então não pode gritar e nem se opor às barbaridades que lhe cometem. 

Meus pontos, analisando tecnicamente:

- Desenho horrível;

- Instalação idem, horrível;

- Atendimento, péssimo - 1/2 dúzia de bicicletas, se muito;

- Localização e impacto na paisagem - não poderia ser pior - num local onde só atrapalha a circulação dos pedestres - notaram a placa escrito "Acesso" ao fundo??? Bem em frente ao Mercado, o qual é Patrimônio Arquitetônico tombado (não houve nenhum estudo sobre o impacto visual desta aberração aí...). Alô??? Cadê arquitetos????

Concluindo, este equipamento, do modo como surgiu,  só cumpre a função de expor quem fez , por que fez e quem pagou. 

Cada um que faça suas próprias considerações.

25 de mai de 2011

Primeira!!!

A internet é uma fonte inesgotável de conhecimento. Sempre encontro alguma surpresa. Desta vez foi aqui, onde descobri que a primeira bici de carbono foi projetada e construída por uma empresa famosa por fabricar roupas para ciclismo.

18 de mai de 2011

boas idéias...

Geralmente tenho um pé atrás com Designers, quanto a sua abordagem às bicicletas. Geralmente a bicicleta é enxergada como algum objeto de fetiche ou coisa assim, como se houvesse muita margem para melhoramentos de design, num objeto que EU julgo haver alcançado a sua composição perfeita.

Vez por outra, me surpreendo com ótima idéias, quase sempre no campo dos acessórios. Esta semana encontrei este protótipo aqui, o qual achei bastante genial e extremamente útil, além de ser compatível com a bicicleta, em si. Poderia citar mais algumas coisa sobre a autogeração da energia e etc, mas curtam por si em detalhes a construção do protótipo.

detalhe mais que importante: o custo do empreendimento não superou os U$ 1.000,00

11 de mai de 2011

Variando o terreno

Vez por outra calha de eu me dispor a enfrentar o "single track" zinho que aparece na foto aí... trata-se de um talude em uma praça próximo de aonde resido. O início está atrás do carro prateado e segue em zigue zague até o topo, ladeando aquela escadaria.




A foto não é tão boa, pois foi batida com celular, e não reflete a real dimensão desta "parede". Mas, para formar uma referência, tomem por base aquela empena cega do edifício, à direita da foto. Aquilo alí são dois pavimentos de estacionamento que estão como subterrâneo da rua de cima... só isto são seis metros de desnível!! E a empena está a uns 2 metros de onde se inicia o trajeto! são pelo menos 8 metros de desnível em menos de 40 metros de trajeto linear!! 

Pura diversão!!!!!!! ainda mais com pneu slick na traseira...