Pesquisar este blog

Translate

5 de abr de 2011

Treinando em casa

Já faz tempo que adquiri um "home trainer" ou popularmente conhecido como "Rolo de treino". E´da marca Transx, bem simples, do tipo fixo, com uma resistência magnética e com regulagem na própria base - não com alavanca, como alguns modelos. Fato é que o equipamento ficou parado muito tempo, pois eu recorria ao mesmo em poucas ocasiões.

Mesmo gostando muito de pedalar na rua, resolvi implementar uma estratégia de treinos mais regulares, pois tenho em mente algumas provas este ano e pretendo estar melhor preparado do que em ocasiões anteriores. Daí desencavar o rolo e treinar com mais frequência em casa.


As vantagens do treino no rolo, dentro da minha perspectiva, são as seguintes:

1 - Segurança - você está em casa, não tem como te acontecer nada, nem acidente, nem assalto, etc

2 - Treino com qualquer tempo - fim daquele saio / não saio por causa do tempo, pricipalmente no nosso inverno sulista, com chuvas frequentes, aquele vento minuano e o frio;

3 - Monitoramento - possuindo um monitor cardíaco (meu caso), fica muito mais fácil acompanhar e manter as zonas de frequência cardíaca e, portanto, perceber a sua evolução dentro de um programa de treino;

4 - Desgaste do equipamento - estando em ambiente interno, e sem contato com o piso / solo, é quase nula a quantidade de matéria poluente (poeiras, óleos, areia...) e que normalmente é lançada sobre a relação da bicicleta, rodas e freios. No máximo tem alguma poeira inerte no ambinete, insuficiente para desgastar a relação - o desgaste resume-se ao contato natural entre as peças. Assim, fica aumentada a vida útil dos componentes. Talvez haja um desgaste um pouco maior  de pneus, o componente que é mais exigido por estar em contato direto com o equipamento mas, a se confirmar.

5 - Convívio familiar - mesmo estando pedalando, continuo podendo estar junto a família, conversar e assistir à TV e, se precisar, é só descer da bici para o que for.


 Óbvio, há desvantagens:

1 - Simulação - como qualquer experiência deste tipo, os resultados comparativos ao ambiente "real" alcançam uma fração do desejado. Ausência de curvas, dos elementos externos como vento, pisos diferentes, trajetos, subidas e etc. 

2 - A movimentação do corpo é limitada, pois no caso do meu equipamento a bici fica em posição totalmente vertical, sem qualquer chance de movimentação - isto pode provocar alguma lesão nos joelhos, por isso não é recomendável treinar exclusivamente em rolos.

3 - Ventilação - por estar "parado", seu corpo não consegue dissipar eficientemente o calor, resultando numa sudorese acentuada e um pouco incômoda. Resolvo isto com o ventilador e com uma toalha de academia - este item é particularmente importante, pois o suor contem substâncias que podem corroer os componentes metálicos, especialmente as ligas a base de ferro;

4 - Diversão - não adianta, estar  na rua é sempre mais divertido...


Bici montada no "rolo" e o contato do pneu com o rolo

Estação de treino: bici com monitor cardíaco, ventilador e apoio para o pneu dianteiro (um cadernão usado, hehe)





Nenhum comentário: