Pesquisar este blog

Translate

29 de set de 2010

Isso é grande avanço!!!

Eu desdenhando as grandes feiras e, vejam só: as grandes coisas estão avançando, como de costume, nos acessórios.

Possuir um monitor cardíaco e um medidor de potência, é mais do que interessante para o atleta profissional. É uma necessidade e, sendo atleta amador, está-se sujeito a irregularidade do preparo físico que pode levar a acidentes graves em termos de situaçõe cardiorrespiratórias, etc.

Mas, este modelo eu gostaria de ter!!!

Papo entre ciclistas - como começa?!?!

...Tarde de domingo, sol bom, anos atrás.


...alguns ciclistas emparelham numa avenida qualquer de Porto Alegre


- Ciclista 1: Isso aí é um quadro de cromo artesanal???

- Ciclista 2, retrucando: Isso aí é um cubo Rohloff????

24 de set de 2010

Competindo

Pela primeira vez em anos, me meti a correr de bicicleta. Foi aqui, e os meus objetivos eram, nesta ordem:

1) Me divertir;

2) Testar o meu condicionamento atual;

3) Dar uma força par o pessoal, que conduz uma operação "out off the box" em competição de ciclismo.

Corri na categoria "Amador", e devo dizer que me sinto bem, pois não cheguei em último, não desisti e não tomei volta de nenhum adversário.

Eu poderia ter optado por uma competição de meio fundo promovida pela Federação gaúcha de ciclismo, mas não havia nenhuma agendada neste feriado (20 de setembro é feriado no RS, o único lugar onde se comemora uma guerra que não foi vencida...). Além disso, as provas da federação tem um nível mais forte do que o meu atual preparo permite disputar.

Então, fui na cara de pau, pois não faço treinos orientados, apenas pedalo ao trabalho - quase diariamente (dá uns 15 a 22 km, ida e volta); mais umas pedaladas recreativas de cerca de 1:30h durante a semana - quando é possível.

Na noite anterior dei uma geral zinha na bike e percebi que a mesma precisaria mais do que a limpeza que fiz. A roda traseira estava um pouco desalinhada, ao que fiz o que pude. O câmbio mereceria mais atenção, mas não haveria tempo para tudo. Então, ao menos limpei a sujeira e poeira, para não parecer que sou desleixado, hehehe!!

Domingão, 7:00 já estou em pé tomando o café, pois eu iria pedalando ao local da prova. Segue o mapa do trajeto de 25Km:



Fiz o trajeto na boa, aproveitando para chegar na prova já aquecido. A largada estav programada para 9:00hs, mas só saiu por uma 9:20 - ok, um atraso aceitável, visto que as inscrições eram feitas no local.

Após me inscrever e receber meu número e uma garrafa da marca de isotônico que patrocina o evento, fiquei circulando pelo circuito. Ao fazer isso, percebi as particularidades (ruins) do local:

- Asfalto muito irregular, plano porém muito áspero;

- Duas curvas e duas retas... sendo uma das curvas no final da reta de largada, em declive leve,  precedida por um quebra molas (???) e na sequência, um estreitamento com cones de trânsito e muita areia na saída da curva. Isto tudo tornava esta curva potencialmente perigosa, ao mesmo tempo se mostrando oportuna para uma boa escapada - se isto me fosse possível!!.

A partir daí, tracei a minha estratégia que seria manter o ritmo e forçar a velocidade nesta curva e na leve subida - o meu ponto forte, confirmado ao longo da prova. Treinei a entrada da tal curva várias vezes, em diferentes velocidades. Os poucos adversários se resumiram a dar um circulada  aleatória, sem maior interesse...

Bem, resultado é que corri e me  senti bem, conforme já relatei no início do post. Tem muito para melhorar, mas acho que encontrei o tipo de competição de acordo com o meu nível. Veremos os próximos capítulos.

Bicicleta mais leve do mundo (de novo?!?!?!)

Todo ano, nesta época das grandes feiras internacionais como a Eurobike e Interbike (mais badalada...), surge algum maluco disposto a torrar os tubos para se promover...

Os caras da Fairwheelbikes tem o meu respeito, por manterem um fórum legal e uma loja nem tão boa e barata assim...mas, enfim, conseguiram a façanha de montar uma bike de apenas 2,7Kg.
Segue uma imagem:
Mais aqui: http://www.tririg.com/articles.php?id=1035_Worlds_Lightest_Bike



Será que aguenta ao tranco??

22 de set de 2010

Dica do ladrão!!

Chupado do ecovelo,

Dicas para prevenir o roubo:

- Use um bom cadeado





- Tranque quadro E rodas

- Estacione a bici em locais com movimentação de pessoas


- Pedale uma bike barata, que não chame atenção (traduzindo para as terras brasileiras: não pedale bike do tipo "full suspension", mesmo que barata - são estas as preferidas dos nossos ladrões burros!!!)


- Se você pedala uma bici cara, traga-a para dentro junto com você (extamente o que faço com a minha speed!!)

Dia Mundial sem carro

E aí? Neste dia, vocêr pegou sua bicicleta??

14 de set de 2010

Chrome

OK, ok... cromados andam 1/2 fora de moda na indústria ciclística (mas prevejo um retorno, em breve...)

Mas, PQP!!! Esta é a mais linda bike cromada que eu já vi

3 de set de 2010

Como evitar furos

Em geral  se lê por aí que, para evitar furos, se tem que ter a última palavra em pneu anti furo + uma fita anti furos + câmara anti furos + líquido selante ou similar...

Aqui, sendo eu um pé rapado que não tem grana para todos estes luxos, vou dar umas dicas gratuitas e que funcionam razoavelmente bem. 

Então, a primeira medida anti furos é a adequada calibragem de qualquer pneu. Para pneus esportivos, a calibragem é mais alta, com maior pressão mas nunca no limite determinado pelo fabricante. Pressão muito alta deixa o pneu mais sujeito a furos por objetos contantes ou pontiagudos.

Pneus para cidade, passeio ou não esportivos, utilizar uma calibragem com menor pressão. Porém, em quaulquer caso o pneu nunca dever parecer ou estar murcho. Pneu murcho está mais sujeito aos furos por pancadas, do tipo que comprime as paredes da câmara contra o aro causando um corte alongado, geralmente duplo - o famoso "mordida de cobra".

Em segundo lugar, classifico uma série de objetos que ficam no caminho, espalhados pelo piso e que se pode e deve evitar passar por sobre eles. Segue a lista:

- Pedaços de madeira, mesmo que pequenos;

- Pedaços de compensados e outras madeiras do tipo laminado;

- Papelões e caixas de papel em geral, mesmo que muito amassados e degradados;

- Restos de pneus de veículos motorizados;

- Amontoados de papel, como apostilas, encartes de lojas e supermercados;

- Garrafas e outros artefatos de vidro em cacos. Neste caso, em especial evitar  os cacos grandes. Os cacos que já estiverem despedaçados por estarem sob as rodas de veículos maiores geralmente oferecem riscos menores de furos.

Todos estes devem ser evitados por conterem elementos que podem vir a causar furos nos pneus, principalmente objetos perfurantes de de metal. Já tive pneus furados por grampos de papel, limalhas de arame de pneus, pregos, percevejos, cacos de vidro, etc, etc...

A terceira medida é evitar a faixa de rodagem onde há maior incidência dos objetos listados acima. Estes estão mais presentes A) junto aos meios fios, nas cidades e, B) nas estradas com acostamentos, compreendendo o 1/3 da largura à direita da faixa principal.

1 de set de 2010

Eurobike 2010

Não sou muito de feiras e etc, mas sempre fico impressionado com o esforço da indústria em tentar introduzir "novidades".

Segue um ótimo link para a galeria do light.bikes.de:



http://www.light-bikes.de/forum/pics/index.php?c=131


 Update com nova galeria:

http://picasaweb.google.fr/nicomousse